Intervenções COVID-19: JPMorgan Chase Virtual Service Corps forma Aliança para Alavancar Mudanças na América Latina

É 31 de janeiro de 2020, e a chamada de encerramento da Equipe Pescar está agendada para hoje. Depois de quase três meses trabalhando juntos em um contexto virtual, a equipe está pronta para revisar os objetivos do projeto e os principais aprendizados. A equipe da Fundación Pescar com sede em Buenos Aires e um grupo diversificado de cinco funcionários da JPMorgan Chase se conectarão via WebEx, ligarão as câmeras e reconhecerão o trabalho árduo que envolveu o projeto. Um brinde virtual e palavras de gratidão de todas as partes interessadas marcam o fim do programa Virtual Service Corps na América Latina.

A cena narrada é anterior à pandemia COVID-19, quando os programas virtuais não eram a norma. De outubro de 2019 a janeiro de 2020, quinze funcionários da JPMorgan Chase tiveram a oportunidade de fazer parceria com três organizações que trabalham incansavelmente para melhorar a vida de jovens e adultos em toda a região: Fundación Pescar, Laboratoria e Instituto Proa. Embora este tenha sido o primeiro programa executado em parceria com ONGs na América Latina, a JPMorgan Chase vem implementando programas virtuais desde 2015.

Um programa virtual pioneiro

O programa Virtual Service Corps é uma oportunidade de voluntariado baseada em habilidades para os funcionários da JPMorgan Chase compartilharem seus conhecimentos por meio de contratos de consultoria virtual com organizações sem fins lucrativos. A empresa começou a pilotar projetos virtuais como uma forma de apoiar ainda mais suas iniciativas voltadas para a comunidade após o sucesso de seu programa de consultoria sem fins lucrativos, o Field Service Corps. Para a JPMorgan Chase, o objetivo principal era expandir o número de organizações sem fins lucrativos e funcionários que poderiam participar do programa. Embora inicialmente limitado a projetos baseados nos Estados Unidos, o Virtual Service Corps passou por uma rápida expansão e escala durante os últimos dois anos, incluindo a adição de projetos internacionais em 2019.

A flexibilidade do portfólio virtual foi particularmente benéfica em 2020, uma vez que o mundo inteiro lida com os impactos da pandemia COVID-19. Adam Blasioli, vice-presidente de Filantropia Global, declarou: “Ter uma infraestrutura de programa estabelecida permitiu que a JPMorgan Chase continuasse oferecendo suporte de consultoria pro bono às organizações, apesar das limitações que a pandemia impôs a viagens e eventos pessoais. Na verdade, vários de nossos projetos presenciais pré-planejados foram capazes de fazer a transição para compromissos virtuais durante os últimos meses, garantindo que nossos parceiros continuassem a receber o suporte estratégico de que precisavam ”.

Fazendo a diferença trabalhando juntos

A Fundación Pescar é uma organização sem fins lucrativos que oferece treinamento a indivíduos de grupos socioeconômicos mais vulneráveis. Durante a chamada de encerramento do programa, a equipe JPMorgan Chase apresentou o produto final: um roteiro para uma estratégia de três anos. Por meio desta consultoria colaborativa, a organização conseguiu identificar as duas áreas de melhoria e definir ações futuras para auxiliar na execução de suas prioridades.

O processo do Virtual Service Corps incentivou e desencadeou discussões internas sobre como fazemos as coisas. A perspectiva externa é sempre essencial para o crescimento e o programa realmente nos preparou para o futuro. Após o surto do COVID-19 e a ordem de permanência em casa, virtualizamos e continuamos com quase todas as atividades programadas para 2020. – Silvia Uranga, Diretora Executiva da Fundación Pescar

Cada projeto virtual é propositalmente desenvolvido e personalizado para atender às necessidades específicas da organização parceira participante. O programa dura de 8 a 12 semanas e os projetos se alinham com as habilidades dos funcionários que geralmente estão concentradas em operações, finanças e planejamento estratégico. Os resultados finais variam, com soluções incluindo guias de estratégia para o envolvimento da equipe, modelos de crescimento financeiro, painéis de gerenciamento e mapas de estrutura / processo organizacional. O Sr. Blasioli descreve o maior impacto para os funcionários, dizendo: “Incontáveis funcionários da JPMorgan Chase mencionaram como é gratificante alavancar sua experiência de uma forma que eles nunca teriam imaginado e aprender o quão valiosas suas experiências podem ser para organizações baseadas na comunidade . Além de empurrar os funcionários para fora de suas zonas de conforto, esses projetos ajudam os funcionários a desenvolver novas habilidades, construir redes mais fortes com os colegas e considerar áreas de interesse de carreira que desejam explorar mais”.

Trabalhar com uma equipe de consultores de alto desempenho na modalidade virtual é uma grande oportunidade, mas também uma escolha estratégica para organizações com alta demanda. A maioria dos funcionários de nível sênior em uma organização sem fins lucrativos atua em muitas frentes e tem disponibilidade limitada. É o caso do Laboratoria, organização de ponta na América Latina que abre oportunidades para todas as pessoas igualmente no Peru, México, Colômbia, Chile e Brasil. No entanto, o investimento de tempo valeu a pena, pois refletiu na experiência.

Se você tem uma necessidade clara, um programa pro bono virtual pode ser de grande ajuda, e vale a pena investir o tempo necessário. Uma recomendação é focar os projetos em necessidades específicas e se você tiver as ferramentas para trabalho colaborativo, o controle remoto funciona muito bem! – Francisca Lanusse, Diretora Financeira do Laboratoria

Promovendo a Realidade de Trabalho Virtual

O programa Virtual Service Corps ocorreu antes do início da pandemia, quando a consultoria baseada em habilidades por meio de conectividade virtual não era a norma. O COVID-19 acelerou o processo de transformação digital e, sem buscá-lo, a primeira edição de engajamento virtual do programa na América Latina teve efeitos positivos não planejados, preparando parceiros para uma comunicação virtual de sucesso. Foi o caso do Instituto Proa, que trabalha para transformar o futuro da próxima geração no Brasil.

Por causa da quarentena, todos os funcionários do PROA estão trabalhando remotamente. A preparação para reuniões virtuais, para que sejam produtivas e objetivas, é um exemplo de aprendizado prático com a experiência que tivemos ao trabalhar com [PYXERA Global] e a equipe JPMC. Não existem barreiras! Face a face – ou virtual – quando você tem um objetivo claro e uma equipe engajada. – Fabiano Goncalvez, Gerente de Operações do Instituto Proa

Inspirando Outros

Amplamente, a PYXERA Global está ouvindo que funcionários corporativos esperam que seus empregadores estejam comprometidos com o impacto social e forneçam tais oportunidades para seus funcionários. Dado o contexto atual, o programa JPMorgan Chase tornou-se uma iniciativa pioneira para empresas que precisam redesenhar suas iniciativas de voluntariado e desenvolvimento de liderança. O voluntariado pro bono ou baseado em habilidades pode permitir uma adaptação mais fácil ao nosso novo ambiente virtual e gerar valor para todas as partes interessadas envolvidas.

O Sr. Blasioli conclui: “A capacidade de causar um impacto social é realmente um desejo universal. Para muitos funcionários, o maior obstáculo para fazer a diferença na comunidade é saber para onde olhar ou ter uma maneira de transformar uma paixão em ação. Ao criar projetos de consultoria pro bono, as empresas têm a capacidade de remover esse obstáculo e conectar mais facilmente as habilidades de seus funcionários a organizações que podem se beneficiar de seu apoio”.

Translated by Fernanda Scur, PYXERA Global, Regional Pro Bono Manager, Latin America

View Comments

Comments

Your email address will not be published.